Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Pill of Words

Blog não sujeito a receita médica.

Pill of Words

Blog não sujeito a receita médica.

Dr. Google

 

As novas tecnologias vieram revolucionar a nossa forma de estar na vida.

Tenho-me vindo a aperceber de como estas ferramentas têm impacto no nosso quotidiano e influenciam as escolhas e os hábitos que adotamos e, a verdade é que, hoje em dia, escrevendo as palavras certas no motor de busca, temos acesso a um sem fim de informação que nem sempre corresponde à verdade.

A Internet pode ser vista como um refúgio ao qual a maioria dos cidadãos recorre para resolver quaisquer problemas. Quando as pessoas estão doentes ou detetam algum sintoma minimamente suspeito, o primeiro aconselhamento que procuram é do Dr. Google. As suas consultas são gratuitas, rápidas e apresentam uma lista completa, na qual consta um diagnóstico e as possíveis causas, sintomas e tratamentos da respetiva “sentença”.

 

Lançamento da semana #5

 

"O tempo não espera pela gente, mas eu espero por ti."

Esta semana decidi mostrar-vos uma música portuguesa que ficou disponível no dia 11 de setembro.

A verdade é que temos no nosso país artistas muito talentosos que nos brindam, cada vez mais, com verdadeiras obras de arte. Infelizmente, nem sempre os valorizamos como os mesmos merecem, no entanto, aos poucos, sinto que até isso está a mudar.A reinvenção, o querer fazer mais e melhor e a aparente simplicidade de algo que pode ser tão complexo são características que me comovem, o ingrediente que torna cada canção única e especial.

 

 

Review: Inferno

 

«Os lugares mais tenebrosos do Inferno estão reservados àqueles que mantêm a neutralidade em tempos de crise moral.»

 

Dan Brown é um reconhecido escritor norte-americano que, entre outras obras, escreveu o mediático Código da Vinci.

Apesar de ouvir falar, com frequência, no nome deste autor, foi apenas no decorrer deste verão que tive a oportunidade de testemunhar a qualidade das histórias que nos narra. Publicado em 2013, o Inferno é um romance cheio de ação e repleto de referências históricas onde constam factos reais sobre diversas obras de arte, ciência e literatura.

Este é um livro que traz de volta Robert Langdon e que nos fala de uma temática interessante e, simultaneamente, assustadora: o drama do crescimento populacional e as suas implicações futuras na espécie humana.

 

 

A luz da esperança

 

Chamava-se Sofia. Tinha medo da trovoada e da celeridade do vento. Era pequena perante as tempestades, embora existissem provas suficientes da sua valentia estoica. Tinha pouco mais de quatro anos e os seus olhos de avelã eram feitos de promessas.

Encontramo-nos numa enfermaria, num dos meus internamentos recorrentes.

Naquele quarto estéril, galgamos os jardins da floresta que criamos, fomos as amigas que dividem as tristezas e partilhamos tantos quadros clínicos como bonecas dúcteis que, tão metodicamente, descabelamos.

A preocupação dos meus pais inundava aquele compartimento de amor, enquanto as nossas alucinações se materializavam, enquanto as nossas camas tremiam e o suor se hospedava nas profundezas de dois corpos cansados, entregues ao mundo assético.

 

Lançamento da semana #4

 

No lançamento desta semana mostro-vos a nova música do cantor e compositor britânico ZAYN em conjunto com a voz inconfundível da SIA.

"Dusk Till Dawn" é uma promessa. Fala do amor e retrata a história intensa de quem está disposto a tudo para permanecer, mesmo que "tudo" dê errado.

Disponível desde quinta-feira, este som já alcançou mais de 12 milhões de visualizações no YouTube, em apenas 24 horas. 

Quanto a mim, todas as músicas em que a SIA participa contam com a minha visualização. Gosto muito do seu timbre e do sentimento que o mesmo empresta a cada canção e esta é mais uma prova do seu reconhecido talento. Espero que, tal como eu, apreciem a fusão destas vozes e que consigam, acima de tudo, sentir, de facto, para onde o vento sopra.

O meu primeiro estágio

 

Durante estas férias de verão realizei o meu primeiro estágio extracurricular. Nesta minha primeira experiência fui conhecer um pouco mais sobre uma das saídas profissionais do meu curso, pela qual manifesto particular interesse: farmácia hospitalar.

As expectativas eram muitas, assim como, o receio de não estar preparada para superar este desafio.

Acabei por ficar colocada num hospital, com relativamente poucos serviços, mas no qual pude perceber como tudo funciona. O primeiro dia foi, como esperava, o mais complicado. Tudo era novo, não tinha experiência nenhuma e estava um pouco ansiosa em relação à minha adaptação.

 

 

O bater das asas

 

Sempre o mesmo tema: conversa fiada, passatempo de quem quer conhecer mais do que o seu umbigo enfarruscado. A garrafa vai a meio e a sabedoria destroca-se em goles profundos.

Vê-se o horizonte e o adormecer ao relento das setes vidas felpudas. Vê-se o bater das chinelas rua abaixo e rua acima.

Apregoam-se os melhores negócios e a cidade silencia, varre o mundo e a certeza; o tempo e a calmaria, a luz e a nostalgia.

Uma vida de trabalho, de pele tisnada pelo sol e pelos filhos.

Crise dos 20

 

Tenho 20 anos.

No dia em que os celebrei quis escrever sobre mim num papel que empalidecesse e pudesse contar as histórias de uma rapariga que vivia perdida dentro de si.

Talvez o ponto de situação da minha vida fosse uma leitura irrelevante para uma avó de setenta anos, mas, a nostalgia que senti no dia do meu último aniversário, estaria certamente presente nos seus olhos: o coração do meu futuro.

E como seria ter coragem para olhar para trás? Como é, na verdade, ter coragem para olhar em frente?

Tenho 20 anos e não sei quantas incertezas cabem nos meus dias.

 

Lançamento da semana #3

 

O lançamento musical desta semana faz parte do primeiro álbum a solo do cantor inglês Harry Styles.

Embora todas as músicas estejam já disponíveis há algum tempo, foi apenas na passada quinta-feira, dia 31 de agosto, que ficamos a conhecer a versão acústica da canção "Two Ghosts". 

Pessoalmente, gostei muito desta versão mais intimista. Voltei a ouvir a música e a sentir o que outrora sentira de cada vez que a havia escutado. 

Às vezes, tentamo-nos lembrar de como é sentir o nosso coração bater e é a esse tipo de emoções que esta música nos conduz: às lembraças do passado e aos fantasmas do presente.

"We're not who we used to be" e às vezes é bom que assim seja até porque, como dizia Camões, "mudam-se os tempos, mudam-se as vontades".