Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Pill of Words

Blog não sujeito a receita médica.

Pill of Words

Blog não sujeito a receita médica.

Hoje, é a tua memória!

 

Para alguém que não se esquece,

 

Gostava de te poder dizer que vai ficar tudo bem e que, um dia, o teu coração sobressaltado encontrará paz: as portas da vossa casa já não estarão trancadas e poderás ir, sem medos, à tua vida. No entanto, tu sabes a verdade: a realidade que eu desconheço e não suporto sequer pressentir.

Não sinto o que tu sentes quando te lembras dos momentos que te roubam a esperança: os rasgos de lucidez, cada vez menos frequentes, o mundo que parece feito de ilusão.

E tu estás sempre ali, disposto a tudo para atenuar o sofrimento de quem vai sendo vítima de uma decadência em progressão. Alguém outrora vivo e feliz, ciente de si, dos seus sonhos, dos seus amores e das batalhas da vida.

Sei que te defraudaram a esperança na eternidade de cada memória. O Alzheimer já te subtraiu muitas lágrimas e todos os dias são um sorvedouro de emoções, como se o mundo fosse visto, vezes sem conta, pelo mesmo corpo, mas por nascentes distintas.

 

A vida mostra-te a sua imprevisibilidade, à medida que assistes à derrapagem de uma doença neurodegenerativa e tu questionas-te: De que valem, afinal, todos os momentos que se foram colecionando? De que vale apenas existir?

Podes não concordar, mas vale muito! E talvez a condição que testemunhas de alguém que te é tão querido, já te tenha feito perceber qual a dimensão do amor e qual o poder, indiscutível, do agora.

Por mais lembranças perdidas, a vida é tão-somente a lenidade de cada momento: a inocência, a curiosidade, o espanto que tudo nos provoca.

É sermos livres em nós próprios e despreocupados com o resto, como crianças inconsequentes. É sentir, mais do que pensar. É deixar que o vento nos leve até onde o vento nos quer levar.

Apesar de a conformação não ser fácil e das palavras serem banais, não deixes que a tristeza te faça desperdiçar cada instante porque não importa quem és para aquela pessoa, o que importa é que estás ali ao seu lado.

O que realmente importa é o que ela significa para ti. Os seus olhos podem até não reconhecer as curvas do teu sorriso, mas o seu coração conhecerá para sempre o sabor das tuas lágrimas.

Lembraste de todas as conquistas que já celebraram juntos e de como os pequenos gestos podem fazer a diferença? Então entrelaça as tuas mãos naquelas mãos esquecidas e sorri. Tu sabes como a vida foi boa e como o amanhã pode ser tarde demais.

Por isso, não te esqueças, não apagues a luz da esperança nem percas tempo: celebra a vida, sê a fortaleza de uma alma que às vezes se encontra perdida até porque, citando Francesc Torralba, «há pacientes incuráveis, mas nenhum deles é “incuidável”».

 

(Hoje, celebra-se o dia mundial da doença de Alzheimer e, por esse motivo, decidi escrever uma carta endereçada aos familiares das vítimas desta doença neurodegenerativa.)

 

14 comentários

Comentar post