Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Pill of Words

Blog não sujeito a receita médica.

Pill of Words

Blog não sujeito a receita médica.

Rescaldo de um mês em stand-by

 

Janeiro é um mês de incertezas e de sentimentos mistos. Se, por um lado, queremos iniciar o plano que traçamos para a nossa vida nos últimos dias do ano anterior, por outro, acabamos por nos aperceber de que, inevitavelmente, muitos dos nossos objetivos acabarão por ficar numa folha de papel, esquecida algures no fundo da gaveta.

Nos primeiros dias, do primeiro de doze capítulos, perdoamos os nossos desleixes alimentares e a preguiça que existe relativamente à prática de exercício físico. As metas começam, assim, a ser encostadas para um canto e nós vamos continuando a viver da mesma forma conformista e rotineira, tal como fazíamos até então. A verdade é que, mal o ano começa, percebemos que, se calhar, a febre da mudança se está a desvanecer e com ela a nossa vontade de sorrir, todos os dias, para o mundo. Voltamos a constatar que, de vez em quando, chove e que não podemos escapar aos dias cinzentos.

Para a generalidade dos estudantes do Ensino Superior este mês é também sinónimo de abdicação. A “vida” fica praticamente em stand-by e é hora de colocar um travão nos almoços demorados de família, nas saídas com os amigos, nas idas ao cinema ou nos serões na companhia de uma boa música ou de um livro do nosso interesse.

 

 

O Ensino Superior e a minha visão do MICF

 

Todos os anos, centenas de jovens se deparam com um dos primeiros grandes dilemas das suas vidas: a escolha de um curso superior.

Para alguns, esta decisão há muito que está tomada, no entanto, para a maioria dos estudantes tais certezas não existem. Por vezes, as médias dos últimos colocados nos anos transatos superam aquelas que os visados conseguiram com o seu esforço e dedicação e quando, os mesmos, constatam que uma única centésima pode ditar a concretização ou não de um objetivo para o qual tanto trabalharam, ficam naturalmente sem saber o que fazer ou como lidar com a situação.

Por outro lado, mesmo quando a média não é um entrave, a implicância que uma escolha desta natureza terá no futuro da pessoa em questão é suficiente para que a mesma duvide do rumo que deve ou não seguir.

 

A minha experiência

 

Hoje, decidi fazer este post para te falar na qualidade de estudante do ensino superior, alguém que já passou por todo esse turbilhão de sensações e que nem sempre soube lidar com elas da melhor forma.